10 regras de ouro para futuros pais

É raro quem não manifeste algum grau de espanto diante da capacidade humana de gerar vida, ainda mais depois de senti-la, e tudo o que gira em torno disso. Tanto é que um termo muito usado para se referir a tal feito é o próprio milagre, do latim miraculum, do verbo mirare, maravilhar-se: “Acontecimento extraordinário que, à luz dos sentidos e conhecimentos até então disponíveis, não possuindo explicação científica ainda conhecida, dá-se de forma a sugerir uma violação das leis naturais que regem os fenômenos ordinários”*. Sabemos que ainda há muito que se desvendar e difundir sobre o princípio da vida, mas isso não quer dizer que ninguém detenha este conhecimento.

Enquanto a ciência contemporânea acaba de chegar a algumas conclusões sobre a possibilidade da primazia da experiência sobre a genética na formação dos seres ainda no ventre humano, criando uma nova disciplina chamada epigenética, tradições antigas da Índia, do Egito e da Grécia já ensinavam: “Os jovens, especialmente durante a gravidez, devem estar atentos para não fazer nada prejudicial à saúde, violento ou injusto… porque isso fica gravado no corpo e no espírito das crianças”, dizia Platão. À dúvida sobre o quão cedo se pode transmitir otimismo, alegria e valores para o bebê, Sócrates respondia: “Nove meses antes do nascimento!”.

O entendimento comum é que, enquanto está no útero, o bebê recebe informações físicas e psicológicas, além do material genético do pai e da mãe, que contribuem para o ser humano que está se formando. Percorremos mais este tema, comentando as influências deste “material” ao longo da vida, na entrevista com a psicóloga e educadora perinatal Laura Uplinger. Hoje, vamos além, compartilhando um importante documento que ela dividiu com a Comparto: uma brochura que o governo grego preparou e passou a entregar aos funcionários públicos do país (já demandado também por outras esferas ligadas à família, como maternidades e escolas), que divulga 10 regras de ouro para futuros pais. Segundo nos contou Laura, a proposta foi feita ao Ministro do Interior da Grécia por uma juíza administrativa e avó.

Poderia parecer reducionista estabelecer algo parecido com regras para um momento vivido de maneiras tão particulares, mas não é o caso. Por trás de cada uma delas, que seguem desde a concepção, passando pela gestação para então chegar ao nascimento, está um cuidado evidente em ser o mais abrangente e inspirador possível para garantir que as próximas gerações contem com pais mais conscientes ao longo de sua formação. Talvez seja este um daqueles guias fundamentais, de preparação, que queríamos ter antes de nos lançarmos à aventura mais misteriosamente humana: a de gerar vida.

Como o documento é longo, fizemos um resumo de cada regra de ouro e disponibilizamos o original (em inglês) para download. A nossa recomendação é de que desfrutem e coloquem em prática! No final, fará mais sentido a afirmação, compartilhada por Laura, de que tudo o que somos e como entendemos a vida é do mais alto interesse para o desenvolvimento dos bebês. E que, de alguma maneira, essas crianças podem ser – e são – tudo o que esperamos para elas. Feliz espera!

  1. A concepção é o início da vida!

“Em todas as artes, o início é extremamente importante para o todo. Na construção de edifícios, as fundações são o mais importante, na construção de um navio, no campo naval, a importância reside no casco… Assim, na sociedade, a forma como os casais se unem e o início da vida são muito importantes para a sua prosperidade.” (Ocelle de Lefkada, discípulo de Pitágoras)

Qual é o segredo da felicidade de um casal? Amor e um objetivo comum. É simples: pense no outro generosamente, sem esperar nada em retorno, e ofereça o seu amor almejando o bem-estar do seu companheiro. Assim se desfruta com plenitude o vínculo que une a ambos, mantendo-os livres interiormente. Neste estado de consciência, preparem a chegada da sua criança, sabendo que o organismo e a mente precisam de tempo para isso. Então, dê a seu filho o tempo necessário para chegar a você. Na concepção, o início de tudo, deixe que o amor prevaleça! Os sentimentos do casal vão constituir a pedra angular do DNA de seu filho. A epigenética já mostra a supremacia da experiência vivida sobre a hereditariedade: ela age como uma força estruturante, especialmente na concepção e durante a gestação. Sim, a qualidade da vida de um casal e a profundidade da sua troca influencia a biologia do seu filho através de uma composição genética.

  1. Nove meses para gerar um mundo novo!

“Não existe respeito à natureza e aos seres humanos sem respeito à criança no ventre. A ecologia do ventre se revela na ecologia do mundo.” (Dr. Thomas Verny)

Vocês acabam de saber que estão esperando uma criança? Então já são pais! Comemorem, sintam-se entusiasmados, gratos e orgulhosos: é uma grande honra trazer uma nova vida à Terra. Suas ocupações, dificuldades e problemas passam ao segundo plano, com este trabalho de formação que a natureza lhes confiou. Mãe, o quanto for possível, passe a gestação em um estado de alegria, elevação, gratidão e maravilhamento. Faça tudo o que te inspira e encante para que os hormônios da alegria circulem no seu sangue. É assim que, mais tarde, este ser estará preparado para enfrentar as dificuldades com dinamismo, otimismo e esperança. E lembrem-se: durante a gestação, a vida harmoniosa do casal pode inclusive neutralizar aspectos negativos de herança genética, favorecendo e reforçado a expressão dos aspectos positivos. Como um engenheiro que, ao construir uma casa, pode ajustar as dimensões de um quarto, fazer janelas maiores e escolher materiais mais sólidos, aprimorando o plano inicial, neste período, é imenso o poder da mulher de colaborar com a vida. Ela pode construir o melhor, corrigindo possíveis problemas no material genético organizado no momento da concepção.

  1. Descanse, viva e coma bem

“Não basta as famílias terem muitos descendentes. O mais importante é dar à luz a belos seres humanos. Graças a isto, as cidades viverão em paz e os lares serão governados com sabedoria.” (Ocelle de Lefkada, discípulo de Pitágoras)

Você precisa descansar. À noite, tente ir para a cama cedo para ajudar a recobrar as energias. Apazigue o seu corpo, fale com suas células, escute-as e agradeça-as pelo seu trabalho. Peça para que promovam harmonia entre todos os seus órgãos. Seu bebê vai aproveitar este profundo momento de relaxamento. Ao acordar cedo, você recebe as energias mais vivificantes e benéficas do dia para a sua saúde e mente. Se for possível, faça caminhadas e outras atividades na natureza neste período. Seu bebê tem o sentido do paladar, então procure se alimentar de comidas frescas e saudáveis. Mantenha distância, o quanto for possível, de álcool, tabaco e cafeína ou estimulantes. Cada refeição é um encontro amoroso com a vida. Sente-se à mesa com calma, alegria e gratidão. Quando você come bem, você dá a seu filho um corpo saudável e transmite bons hábitos de alimentação para a vida!

  1. Respirando profundamente

“Respiração é vida; se você respirar bem você viverá mais na Terra.” (Provérbio sânscrito)

Esteja onde estiver, respire profundamente. Respirações profundas oxigenam seu sangue e seu cérebro e fomentam a formação harmoniosa dos órgãos do seu filho. Algumas vezes por dia, respire profunda e lentamente por três minutos. O sentido do olfato também equilibra o cérebro emocional, que recebe o perfume de uma planta como uma transfusão de energia. “A respiração é a ponte que conecta a vida à consciência, que une o corpo aos pensamentos”, afirmou o monge budista Thich Nhat Hanh. Cantar, caminhar, dançar, nadar e todas as atividades harmoniosas que ampliam a capacidade dos seus pulmões, assim como ler belos textos e poesias em voz alta, são um tesouro para a sua gravidez. Inspire-se.

  1. A beleza no centro da vida

“O sentido da educação é nos ensinar a amar o belo.” (Platão)

O bebê sente tudo! Seus pensamentos, seus sentimentos, suas impressões, tudo o que você vive se inscreve em seu inconsciente e um dia influenciará suas escolhas. Por isso, faça um esforço para fechar suas portas interiores ao que é desarmônico ao seu redor. Com tranquilidade, coloque de lado os pensamentos e sentimentos negativos provenientes da vida diária. Diga a si mesmo que passarão como a névoa matinal ou as nuvens que o sol dissipa. Cultive emoções felizes para formar uma criança bela em mente e espírito! Durante a gestação, temer o desconhecido é frequentemente uma fonte de ansiedade. Refugie-se no momento presente. Mantenha o seu olhar, a sua imaginação e a sua alma ocupada com grandiosidade, beleza e verdade! Marque um encontro com seu companheiro para admirar a arte e a natureza. O que o casal reverencia ajuda a formar uma criança saudável e bela, dotada de sensibilidade artística e moral.

  1. O poder das cores da luz

“Deixa-me, oh, deixa-me banhar a alma em cores; deixa-me beber o arco-íris.” (Kahlil Gibran)

A natureza é resplandescente, repleta de cores que tem o poder de fortalecer o nosso sistema imunológico. A ciência das cores já é aplicada na cromoterapia, que usa a luz e suas cores como recursos sobre o nosso corpo físico e mente. Conheça algumas: vermelho traz força e dinamismo aos músculos; laranja harmoniza o sistema circulatório e seus sentimentos; amarelo nutre o sistema nervoso e a inteligência; verde tonifica o sistema digestivo; azul apazigua e amplifica o poder dos seus pulmões; índigo sustenta a estrutura óssea, inspirando justiça e estabilidade; violeta alegra o seu sistema hormonal e expande a sua espiritualidade. Procure visualizar seu filho banhando-se na luz destas cores, com todas as suas virtudes. Lembre-se de que sua imaginação tem este poder formador! Caminhe sob o sol da manhã e abra sua casa para esta luz. À tarde, olhe para o céu e se entregue (emerja) a sois distantes. Suas preocupações pesarão bem menos… parecerão bem menores…

  1. Ouça música e cante ou toque um instrumento!

“A música dá alma ao universo, asas ao espírito e à imaginação; ela vivifica tudo.” (Platão)

Da concepção em diante, o bebê ouve com cada célula. Ofereça músicas radiantes para ele! Já foram comprovados os efeitos positivos da música clássica, por exemplo, que alimenta o desenvolvimento harmonioso dos órgãos do bebê, ativa seu cérebro e aproxima suas almas. As canções tradicionais de cada país, por sua vez, celebram a riqueza da humanidade. Cantem para o seu bebê, pai e mãe. Todos se beneficiarão em um nível celular. Após o nascimento, seu filho se lembrará de suas vozes e da sua musicalidade.

  1. Imagine o seu filho como um semeador da paz

“Não existe um caminho para a paz; a paz é o caminho” (Gandhi)

Visualize seu filho como um adulto saudável, sereno, belo, criativo, justo, honesto, inteligente, disposto a ajudar aos outros. Inspire-se nas qualidades que admira nos heróis e grandes seres humanos. Procure características grandiosas nos livros, filmes e peças de que gosta. Estão disponíveis também na natureza: na majestade das montanhas e das árvores de uma floresta, na serenidade de um mar calmo e no dinamismo das ondas, na beleza, no magnetismo e na pureza das flores, na grandiosidade do todo, ao observar um céu estrelado. Unindo pensamento e amor, você multiplica o poder da imaginação e gravará tudo isso na memória das células do seu bebê.

  1. Ame o seu bebê! E ele será capaz de se amar, amar os outros e a vida

“O mundo que deixaremos para as nossas crianças depende das crianças que trouxermos ao mundo” (F.M.Zaragoza)

Coloque todos os seus recursos para acolher esta gravidez, aceitar e amar este bebê – ele quer e precisa da sua felicidade. Se houver dificuldade, converse com ele e explique os motivos pelos quais se sente assim, mostrando que não tem a ver com quem ele é. Honre a sua criança, que é um ser humano único. Comunique-se: ele te ouve e entende. Ouça as suas mensagens! As palavras que você usa, seu carinho, as imagens e visões que cria, o que você deseja e sonha e seus elevados ideais são nutrientes essenciais para o bebê. A maneira como você se percebe, percebe os outros e o universo se traduz em informações bioquímicas, então assimiladas pelos órgãos em desenvolvimento.

  1. Nascimento: um encontro de almas; amamentação: um grande mistério

“O bebê deve começar a mamar na primeira meia hora após o nascimento. É quando sabe instintivamente o que fazer. Se começar mais tarde, terá de aprender” (Dr. Michel Odent)

Mãe, quando chegar o momento do nascimento, ofereça a seu filho o primeiro olhar. Olhos nos olhos, você tem o poder maravilhoso de ativar o cérebro do seu recém-nascido com hormônios da felicidade. Amamente-o com a mesma atitude que teve durante a gestação. Quando você amamenta atentamente, o poder do vínculo é reforçado. Além disso, o contato pele-a-pele assegura a colonização microbiana ideal, vital para o sistema imunológico do bebê. Pai, neste momento, deixe suas ansiedades de lado, esteja presente como nunca e experimente a sensação. Ofereçam a melhor boas-vindas para o seu filho.

*Wikipedia

 

2 Comentários

  1. Gabriela disse:

    Texto lindo!!!! Vou enviá-lo a todas gestantes que conheço, que conhecerei! Gratidão!

Deixe uma resposta