Doação de Leite Materno
25 de novembro de 2015
Uma nova fase da Comparto
7 de dezembro de 2015

O que é uma Doula?

De acordo com a DONA International (Associação Internacional de Doulas), doula é uma profissional treinada para oferecer suporte contínuo para a mãe antes, durante e logo após o parto. A palavra Doula vem do grego e significa “mulher que serve” ou “serva”.

Quantas mulheres usam doulas?

Em uma pesquisa de 2006, realizada nos EUA, apenas 3% das mulheres disseram ter usado uma doula durante o parto ( Declerq et al., 2007).

O que as doulas fazem?

Doulas “maternam a mãe”. O papel da doula envolve fornecer informações baseadas em evidencias cientificas e sobre o sistema obstétrico de sua região, possibilitando que a mulher saiba sobre as opções de nascimento; oferecer apoio continuo (a palavra-chave é “continuo”, a doula nunca sai do lado da parturiente durante o trabalho de parto); usar métodos de conforto como técnicas de respiração, relaxamento, movimento e posicionamento; advogar em defesa dos direitos e escolhas da mulher; facilitar a comunicação com a equipe de assistência clinica; cuidar e apoiar o parceiro – embora sua principal responsabilidade seja com o bem-estar da mãe.

Também é importante entender o que doulas não fazem. Doulas não são profissionais técnicos; não executam tarefas clínicas, tais como exames vaginais ou monitorização cardíaca fetal; não dão aconselhamento médico ou diagnósticos; não julgam as decisões maternas; não deixa que seus valores pessoais ou preconceitos a impeçam de cuidar de você (por exemplo, eles não a pressionam a tomar quaisquer decisões só porque é o que eles preferem); não assumem o papel de seu marido ou companheiro e não recebem o bebê. Você pode ler mais sobre o que doulas fazem e não fazem no site da DONA Internacional (http://www.dona.org).

O que diferencia o papel de uma doula e da enfermeira ou parceiro/marido?

A coisa mais importante que uma mulher precisa durante o trabalho é apoio contínuo. Isto significa ter alguém ao seu lado do início ao fim do trabalho de parto. A doula nunca sai de perto. Enfermeiras tem muitas outras responsabilidades além de auxiliarem na assistência ao seu parto. Elas comunicam-se com sua equipe, cuidam de outras pacientes, documentam e seguem protocolos, fazem pausas e trocam de turno. A doula tem apenas uma tarefa: estar todo o tempo com você!

Às vezes mulheres pensam que não precisam de uma doula porque seu parceiro estará com elas continuamente ao longo do trabalho. Seu parceiro é uma pessoa de apoio essencial para você, sem a menor dúvida. No entanto, o seu parceiro também terá necessidades como comer, usar o banheiro ou dormir. Além disso, a maioria dos parceiros tem conhecimento limitado sobre o nascimento, procedimentos médicos, ou sobre a rotina hospitalar. Por isso, Doulas e parceiros podem trabalhar juntos como uma equipe perfeita de suporte para você.

Então, qual é a evidência para doulas?

Em 2012, Hodnett et al. publicou uma revisão atualizada pela Biblioteca Cochrane sobre o apoio contínuo para as mulheres durante o parto. Eles reuniram os resultados de 22 estudos que incluíram mais de 15.000 mulheres. Estas mulheres foram randomizadas entre aquelas que receberam apoio contínuo individual durante o parto ou as que tiveram o “cuidado habitual”.

Foi prestado apoio contínuo por um membro da equipe do hospital, como uma parteira ou enfermeira (9 estudos); por mulheres que não faziam parte da rede social da mulher nem dos funcionários do hospital (5 estudos com doulas; 1 estudo com educadoras perinatais e 1 estudo com enfermeiras aposentadas), ou por um acompanhante da rede social da mulher (como uma parente ou parceiro (6 estudos). Em 11 dos estudos, o marido / companheiro não tinha permissão para estar presente ao nascimento e o apoio contínuo foi comparado com nenhum apoio. Em todos os outros estudos, o marido ou parceiro foi autorizado a estar presente, além de a pessoa que prestou apoio contínuo.

No geral, as mulheres que receberam apoio contínuo foram mais propensas a ter partos vaginais espontâneos e menos propensas a ter qualquer medicação para a dor, a apresentar sentimentos negativos sobre o parto, e ao parto instrumental (uso de fórceps ou vácuo) ou de precisarem de cesariana. Além disso, seus trabalhos de parto foram cerca de 40 minutos mais curtos e seus bebês menos propensos a ter baixos índices de Apgar no nascimento.

O que isto significa?

Significa que se você tiver o apoio continuo durante o trabalho de parto (isto é, alguém que nunca saia do seu lado), você estará, estatisticamente, mais propensa a ter melhores resultados e o nascimento do seu bebê a ter melhores desfechos!

Como doulas podem ser comparadas com outros tipos de apoio contínuo?

Os pesquisadores também analisaram os dados para saber se o tipo de apoio que a mulher recebeu fez alguma diferença. Eles queriam saber se importa quem você escolhe para o seu apoio continuo ou se faz alguma diferença entre escolher uma parteira, doula ou parceiro. Eles foram capazes de olhar para esta questão por meio de 6 indicadores: uso de qualquer medicação para dor, uso de oxitocina no trabalho de parto, parto vaginal espontâneo, necessidade de cesariana, a admissão do bebê na UTI após o nascimento e avaliações negativas da experiência do nascimento.

Para a maioria desses indicadores, os melhores resultados ocorreram quando a mulher teve o apoio de uma doula – que não era nem membro da equipe hospitalar e que não fazia parte da rede social da mulher. Quando o suporte de parto foi fornecido por uma doula, as mulheres experimentaram:

  • Diminuição de 31 % na utilização de oxitocina*;
  • Diminuição de 28 % no risco de cirurgia cesariana*;
  • Aumento de 12% na probabilidade de um parto vaginal espontâneo*;
  • Diminuição de 9 % na utilização de qualquer medicação para o alívio da dor;
  • Diminuição de 14 % no risco de recém-nascidos de serem admitidos a um berçário de cuidados especiais;
  • Diminuição de 34 % no risco de estar insatisfeito com a experiência do nascimento.*

Para quatro destes resultados, os marcados com *, com uma doula eram melhores do que todos os outros tipos de apoio contínuo que foram estudados. Para os outros resultados, não houve diferença entre os tipos de suporte contínuo.

Por que ter uma doula é tão eficaz?

Existem algumas razões pelas quais nós acreditamos que doulas sejam tão eficazes. A primeira é a teoria do “ambiente hostil”. Na maioria dos países desenvolvidos, desde que o nascimento passou do ambiente domiciliar para o hospital, as mulheres têm dado à luz em condições que muitas vezes podem ser consideradas como adversas. No hospital, as parturientes são, frequentemente, submetidas às rotinas institucionais, as taxas de intervenção são elevadas, as pessoas são desconhecidas, falta privacidade, a iluminação é intensa, etc. A maioria de nós tem dificuldade em lidar com este ambiente mesmo em condições normais, mas as mulheres em trabalho de parto têm que lidar com tudo isso em um momento muito vulnerável. Essas condições podem retardar o trabalho de uma mulher e diminuir sua auto-confiança. Pensa-se que uma doula atenua este ambiente hostil, fornecendo apoio contínuo e companheirismo, o que promove a auto-estima da mãe (Hofmeyr, Nikodem et al., 1991).

Outra razão para a eficacia do trabalho das doulas é porque elas representam, de certa forma, um tipo de alivio da dor (Hofmeyr,1991). Com o apoio contínuo, as mulheres são menos propensas a pedir analgesia peridural ou outro tipo de medicação para dor (Hodnett , 2011). E por que as mulheres com doulas são menos propensas a solicitar medicamentos para a dor? Bem, as mulheres são menos propensas a solicitar medicamentos quando têm uma doula porque elas simplesmente não sentem que precisam tanto assim de uma peridural! Mulheres que tem uma doula são, estatisticamente, mais propensas a sentir menos dor quando a doula está presente. Além disso, evitando anestesia, as mulheres podem evitar outras intervenções médicas que muitas vezes vão junto com uma peridural, incluindo a administração de ocitocina sintética e aumento do monitoramento fetal eletrônico contínuo (Caton, Corry et al., 2002).

Com base na literatura disponível, eu propus um modelo conceitual de como o apoio doulas influencia os resultados do parto. Um modelo conceitual é um recurso que os pesquisadores usam para tentar entender como um fenômeno funciona. Este é o meu modelo conceitual sobre o fenômeno de apoio da doula:

Modelo conceitual doula

 

Como faço para encontrar uma doula ?

Se você está indecisa sobre a contratação de uma doula, talvez você possa entrevistar algumas juntamente com seu parceiro. O Childbirth Connection (http://www.childbirthconnection.org) tem uma lista de perguntas que você pode usar em uma entrevista com a doula. Eles também têm uma lista de sites onde você poderá encontrar doulas em sua área.

 

Obs. No Brasil, o site para busca de doulas por região mais utilizado é www.doulas.com.br

Então, qual o ponto de partida?

A evidência mostra que a coisa mais importante é que as mulheres tenham o apoio contínuo durante o trabalho de parto – essa pessoa pode ser uma enfermeira, parteira, parceiro ou doula. No entanto, o suporte provido por uma doula tem um efeito mais significativo do que das outras pessoas.

 

27 de Maço de 2013. Por Rebecca Dekker, PhD, RN, APRN Fonte: http://evidencebasedbirth.com/the-evidence-for-doulas/ Tradução: Raquel Oliva

Os comentários estão encerrados.

https://www.netkart.org Στοίχημα paykasa