Manter-se ativa durante o trabalho de parto pode ajudá-la a lidar com a dor, além de facilitar a descida do bebê na pélvis.

Imagine uma situação: você está fazendo uma viagem longa de carro e vê uma placa de saída a 2km, depois disso a próxima parada somente em 200km. São 11h30 da manhã e você tem que parar para pensar: “Eu quero almoçar agora ou prefiro esperar mais duas horas? Eu ficaria mais confortável usando o banheiro e esticando as pernas agora, ou devo esperar e adiantar mais a minha viagem?”. Este é o processo de sintonia com o seu corpo.

Podemos nem sempre pensar: “Estou com fome? Preciso usar o banheiro? Preciso me movimentar?”, porque estas são coisas que tendemos a fazer sem muita consciência. No entanto, a situação descrita acima é aquela em que uma pessoa precisa avaliar as necessidades físicas de seu corpo.

Esta é uma atitude que pode contribuir com uma mulher em trabalho de parto. Ela deve “sintonizar-se” com os sinais do seu corpo. O corpo envia sinais quando você precisa se mover, assim como faz quando você precisa comer, beber ou usar o banheiro. A parturiente que consegue ampliar sua consciência e conectar-se com esses sinais pode ter o maior conforto possível durante o processo.

Benefícios do Movimento no Parto

Movimentar-se durante o parto oferece vários benefícios. Primeiro, o movimento contribui com a descida fetal e isto é particularmente verdade quando a gestante assume posições verticalizadas (já que a força da gravidade atua a seu favor) e que possibilitam maior amplitude e abertura da pélvis.

Além da possibilidade de ampliar espaço na pélvis, a mobilidade auxilia os movimentos do bebê que contribuirão com seu giro e descida através dos estreitos ósseos da pélvis que ele deve percorrer. Movimentos sincliticos são movimentos que o bebê faz com a cabeça que lhe permite entrar e avançar na pélvis materna.

O movimento no parto também fortalece as contrações uterinas. É comum ver mulheres andando nos corredores de hospitais e centros de parto durante o mesmo para favorecer o padrão de contrações, tornando-as mais eficazes. Outras boas opções são o movimento circular na bola de pilates, balançar-se nos braços de seu parceiro ou rebolar debaixo do chuveiro – todas estas alternativas contribuem para contrações mais efetivas.

O movimento no trabalho de parto ainda ajuda as parturientes a encontrar um padrão ou ritmo que as ajude a lidar com as sensações de seus corpos nos momentos de contração. Balançar, rebolar, movimentar-se sob a bola, dançar e caminhar são atitudes que observamos em partos e são empregados muito intuitivamente – imaginem só, neste contexto, os malefícios da limitação à uma maca!

Não é fácil saber antes que as contrações comecem o ritmo ou tipo de movimento que funcionará melhor para cada mulher. Algumas vezes a doula ou parteira pode contribuir lembrando a gestante das possibilidades, apoiando-a em seus movimentos e ajudando-a a encontrar seu próprio jeito.

Para uma mulher que deseja parir sem intervenções, a liberdade de movimento pode ser determinante! Há uma alta correlação entre a limitação à maca e os procedimentos médicos. Mesmo mulheres que não desejam o uso de analgesia tendem a fazê-lo uma vez que sejam confinadas à maca porque não lhes é permitido lidar com a contração de acordo com seus próprios instintos.

Dicas para a movimentação no trabalho de parto

  • Familiarize-se com as diferentes posições possíveis em trabalho de parto. Algumas posturas importantes são ficar de pé, caminhar, sentar, acocora, ficar de joelhos com tronco inclinado e peito mais baixo, quatro apoios, deitada de lado. O ideal seria evitar muito tempo em uma mesma posição, alternando sempre que possível.
  • Algumas posições requerem movimentação, outras não. Alguns movimentos parecerão naturais e confortáveis para você durante a gestação, mas mesmo posturas que não pareciam confortáveis enquanto gestava podem ser úteis e agradáveis durante o trabalho de parto, não deixe de testá-las.
  • Muitas mulheres relatam um desejo de acocorar ou ficar em quatro apoios durante o trabalho de parto. Estas posições são instintivas e naturais porque são posições perfeitas para abertura da pélvis. Quanto mais possibilidades você explorar antes do trabalho de parto, mais fácil será para a mulher ouvir seus instintos e conectar-se com as necessidades de seu corpo.

Planeje estar vertical e movimentar-se

Durante o trabalho de parto e passe pelo menos algum tempo ereta e movendo-se. Veja abaixo algumas boas alternativas:

  • Caminhar
  • Sentar-se ou apoiar-se em uma bola – fazer movimentos de vai-e-vem, para a frente e para trás ou movimentos circulares (você pode estar sentada ou de quatro apoios abraçada na bola)
  • Balançar lateralmente
  • Balançar nos braços do parceiro (tipo uma dança lenta)
  • Pendurar-se em uma rede ou rebozo
  • Dançar (músicas adicionam prazer, leveza e ritmo)
  • Subir e descer escadas
  • Duchar-se (aproveitando para fazer movimentos de caminhar no lugar)
  • Inclinar-se lateralmente com um dos pés em uma cadeira ou banquinho

Veja na imagem, algumas posturas e seus benefícios:

movimento parto

Diferenças do movimento entre e durante as contrações

Uma diferença importante a observar é o que as mulheres fazem durante as contrações e entre elas. Algumas mulheres que caminham, vão parar e balançar quando uma contração começa. Outras estão balançando e irão parar e apoiar-se quando vem uma contração.

Uma vez que uma contração começa, a parturiente deve assumir a posição ou o movimento que for mais confortável. Embora ela possa não estar analisando racionalmente, provavelmente será uma posição que facilite o processo do trabalho de parto.

Equilibre sua necessidade de movimento e descanso

É igualmente importante movimentar e descansar durante o parto. Poderia ser contraproducente decidir com antecedência o que fazer em todas as contrações. A parturiente provavelmente precisará de períodos de descanso. E, novamente, cada mulher deve ouvir seu corpo para que possa sintonizar seus sinais para quando descansar ou movimentar-se em trabalho de parto.

Encontre um modelo de assistência (equipe / local) que apoie o movimento em trabalho de parto

Infelizmente, nem todas as maternidades e profissionais permitirão que se as mulheres se movam livremente em trabalho de parto, por isso sempre insistimos que é fundamental a escolha de profissionais coerentes com as escolhas de parto de cada família.

Sobre atividades físicas durante a gestaçãoo, você pode ler mais neste outro artigo do nosso blog: http://www.comparto.com.br/exercicios-fisicos-durante-a-gravidez-sim/

 

Deixe uma resposta