Relato de parto natural – “E não é que a gente gosta de parir mesmo?!”
3 de fevereiro de 2017
Relato de parto normal
10 de fevereiro de 2017

Fotos: Blackcherry Photography

Você que acompanha nosso trabalho e lê atentamente aos relatos de parto, que trazemos todas as sextas, já deve ter notado: apesar de cada nascimento ser tão único quanto o bebê que chega, existem semelhanças no processo fisiológico do parto normal descrito por quem tem o privilégio de vivê-lo ou acompanhá-lo.

Hoje falaremos, bem resumidamente, do que acontece em um nascimento normal, em cada uma de suas etapas. Considere que estas “divisões” são meramente didáticas e o trabalho de parto pode ser considerado um contínuo, sendo difícil estabelecer com precisão quando inicia uma fase e termina outra.

Pródromos

Nem sempre ocorrem, assim como não é considerada uma fase do trabalho de parto, mas são uma preparação  para o mesmo. Caracteriza-se por contrações irregulares, inefetivas (no que refere-se à ação sobre o colo uterino) e que cessam em algum momento. Muitas vezes interpretado como um “alarme falso”, pode levar algumas mulheres para a maternidade precocemente – o que no Brasil acaba contribuindo para os altos índices de cesáreas, já que alguns profissionais / equipes, podem alegar que não houve evolução (tratando erroneamente essa fase como um início de trabalho de parto).

Tenha atenção a estas características! Conhecer seu corpo e o processo pode ajudar a garantir o tão desejado parto normal.

  1. Fase latente (apagamento do colo do útero e dilatação inicial)

O colo do útero afina, amolece e dilata de zero a três ou quatro centímetros.

Este primeiro passo na viagem em direção ao parto pode durar em média de 6 a 10 horas para uma mãe pela primeira vez, mas pode ser muito mais curto (especialmente se você tiver dado à luz antes) ou muito mais longo. Não se prenda a expectativas de tempo!

O que a mulher pode experimentar:

O início do trabalho de parto pode ser sutil ou dramático – e acontece de forma diferente e particular em cada mulher. Em algumas, o colo do útero dilata-se até três centímetros bem antes de quaisquer contrações perceptíveis. Outras mulheres podem ter fortes contrações que não produzem dilatação cervical. Mas, em geral, a fase inicial traz algum esfacelamento (afinamento e amolecimento do colo do útero) e dilatação a três centímetros, durante um período que pode ser de horas ou dias. As contrações podem ser leves e um tanto irregulares, chegando de 5 a 30 minutos de intervalo, com duração de 30 a 45 segundos. A mulher pode perceber uma secreção viscosa (tampão mucoso) e sentir um pouco de desconforto abdominal. A bolsa pode romper (ruptura de membranas) nesta fase ou isso pode acontecer mais tarde, por conta própria ou com uma intervenção médica.

O que se pode fazer:

Na fase inicial do trabalho é útil concentrar-se em outras coisas para que você possa passar o tempo sem se preocupar com o que está por vir, especialmente enquanto as contrações não são totalmente regulares e as contrações ainda são relativamente suaves e espaçadas mais de cinco minutos. Nesta fase a maioria das mulheres passa o tempo em casa, mantendo um contato próximo com sua equipe. Se está procurando algo para fazer enquanto espera, pode tentar atividades tranquilas e relaxantes, como ouvir música, ler, dançar ou assistir televisão. Se você se sentir confortável, uma caminhada curta e agradável seria bom, e pode até ajudar a acelerar o trabalho de parto.

  1. Fase ativa (contrações efetivas, dilatação) 

Colo do útero dilata de quatro a sete / oito centímetros.

Esta fase é quando o trabalho de parto é realmente efetivo e quando a maioria das mulheres começam a se concentrar mais intensamente. Pode durar em média de três a seis horas para primeiros bebês, e aproximadamente a metade isso para nascimentos subsequentes.

O que a mulher pode experimentar:

Durante a fase ativa, as contrações geralmente vêm de forma ritmada, aumentando gradualmente em intensidade e frequência, com três minutos de intervalo em média. As dores podem estar centradas na parte inferior da barriga, na lombar ou nas pernas, e podem ser intensas o suficiente para dificultar a conversa. Também pode-se experimentar um aumento da quantidade de secreção rosada ou acastanhada, ou mesmo um leve sangramento – sinal de dilatação do colo.

O que se pode fazer:

A mulher deve hidratar-se, fazer xixi com frequência (para que a bexiga não fique muito cheia), praticar respiração profunda ou técnicas de relaxamento que tenha aprendido com sua equipe ou nas aulas para o parto e encontrar posições em que seja possível manejar a dor. Confiar que quem a estiver acompanhando (seu parceiro ou parceira) a ajude e incentive. Aceitar que é normal estar ansiosa e um pouco tensa. Se houver um chuveiro quente disponível também é boa ideia para relaxar. Se optar por ter anestesia, é provável que seja administrada durante esta fase. (Baixe aqui nosso e-book para saber mais sobre algumas Medidas de Conforto e  Alívio da Dor no Parto).

  1. Fase de transição (dilatação total)

O colo do útero dilata-se de oito a dez centímetros.

A parte final da primeira fase pode durar de 20 minutos a duas horas para os primeiros bebês, e pode ir muito rapidamente em nascimentos subsequentes.

O que a mulher pode experimentar:

As contrações durante esta fase são geralmente intensas, espaçadas com cerca de dois a três minutos de intervalo. Aumento da fadiga, tremores e náuseas são todos comuns nesta fase, já que o corpo faz o duro trabalho de alcançar a dilatação completa. Pode-se sentir um forte desejo de empurrar, juntamente com a pressão na área retal e pontadas na área da vagina, conforme a cabeça do bebê se move para baixo em direção à abertura vaginal.

O que se pode fazer:

Com a ajuda do parceiro ou doula, pode-se focar ainda mais na respiração e formas de relaxamento que estiverem funcionando melhor para cada mulher. Se tiver um impulso muito forte para empurrar, observe e respeite o que o seu corpo pede, pode estar muito perto do nascimento. Não se preocupe se você sente que está “perdendo o controle” – é perfeitamente normal sentir como se você tivesse ido um pouco desligada nesta fase – e muito desejável, inclusive. Lembre-se que não vai demorar muito até você ver seu bebê! 

  1. Expulsivo

                A segunda fase do parto começa quando o colo do útero está completamente dilatado. Ela dura cerca de, em média, meia hora a duas horas em mães pela primeira vez. Em nascimentos subsequentes, pode durar de alguns poucos minutos a duas horas.

O que a mulher pode experimentar:

O impulso incontrolável de fazer força continua, e assim que o colo do útero estiver completamente dilatado resultará em um avanço do bebê através do canal vaginal. As contrações não param agora, embora muitas vezes espacem. Algumas mulheres experimentam náuseas e vômitos. À medida que começa a empurrar, pode tornar-se cada vez mais cansada – está fazendo o que é provavelmente o exercício mais difícil que seu corpo enfrentará na sua vida. Pode sentir dor intensa na área vaginal e perineal conforme o bebê coroar. Pode ser preciso que empurre mais suave ou lentamente, conforme o resto da cabeça e do corpo do bebê emergem, para proteger o períneo. Finalmente, com um último empurrão, o bebê terá feito a passagem para o mundo!

O que se pode fazer:

Empurrar! É bom fazer todo movimento contar neste momento. Siga seus instintos e aguente firme – você está a ponto de encontrar seu bebê. 

  1. Dequitação da Placenta

O momento incrível do nascimento do bebê é seguido rapidamente pelo desprendimento da placenta. Isso normalmente leva de alguns minutos a meia hora.

O que a mulher pode experimentar:

Provavelmente estará tão absorvida em conhecer o recém-nascido que não vai notar muito sobre esta fase. A médica/ obstetriz pode pedir que faça força novamente para expulsar a placenta e pode-se experimentar cólicas e dor enquanto este processo ocorre.

O que se você pode fazer:

Pode-se colocar o bebê no peito, pois isso estimula as contrações uterinas, ou a médica/ obstetriz pode massagear suavemente o abdômen para ajudar a estimular a separação placentária. À medida que a terceira fase termina e o processo do parto chega ao fim, provavelmente sentirá uma sensação esmagadora de fadiga. Provavelmente haverá uma boa dose de burburinho em torno da nova mãe, mas, assim que possível, o ideal é que feche os olhos e descanse.

“Quanto tempo dura todo o processo?” É uma pergunta frequente, mas cuja resposta não é exata ou padronizada. Cada corpo, cada história, cada bebê e todas os fatores ambientais, físicos, culturais, emocionais envolvidos nesse evento tão natural interferem no processo  – prender-se a um número pode trazer uma falsa expectativa e frustar uma vivência que pode fluir naturalmente, a seu próprio tempo. Entretanto, com base em estatísticas considera-se para mães pela primeira vez, a média de 14 horas, embora, claro, possa ser muito mais longo ou muito mais curto. E, para as mães que deram à luz antes, a média é de cerca de 8 horas.

** O conteúdo de nosso blog, incluindo conselhos de médicos e outros profissionais de saúde, deve ser considerado como opinião. Procure sempre as orientações diretamente com sua (seu) própria (o) médica (o) em relação a quaisquer perguntas ou questões que você possa ter sobre sua própria saúde e de seu bebê e, com base nelas e toda a informação que tiver colhido, exercite sua autonomia para tomar as decisões 😉

Deixe uma resposta

https://www.netkart.org Στοίχημα paykasa