Depoimento Mariana Stori
29 de julho de 2015
Um plano de parto é uma carta de como a parturiente (termo utilizado para designar ‘aquela que está em trabalho de parto’) deseja que as coisas aconteçam durante e após o parto. Este plano deve incluir todos os detalhes: de que tipos de métodos de alívio de dor poderão ser utilizados até quem serão os acompanhantes do parto. Também especifica onde se deseja ter o bebê: em casa, hospital ou clínicas especializadas (casas de parto). Esta carta deve ser entregue ao médico responsável, hospital ou clínica onde será realizado o parto e, se possível, anexado ao prontuário (no caso do parto hospitalar), assegurando o respeito às vontades da mulher.
Estes planos são absolutamente individuais, visto que o que é agradável para uma mulher, não é, necessariamente, para outra. Cada mulher, gestação e parto são únicos. É comum que a gestante se sinta perdida entre tantas opções e opiniões, por isso escrever um plano de parto ajuda a organizar idéias, estabelecer prioridades e determinar preferências. Também pode ser útil assinalar questões em que as possibilidades não estejam claras. Um médico ou uma doula poderá esclarecer as dúvidas, ajudando a mulher a fazer escolhas adequadas para um parto tranqüilo e seguro.
O plano deve ser discutido, sobretudo, com o parceiro e com qualquer outra pessoa que estará presente no parto, assim todos estarão cientes do desejo da parturiente. De qualquer forma, as circunstâncias podem mudar, por isso uma atitude flexível será necessária se a situação não seguir conforme o planejado.
Itens indispensáveis de um plano de parto:
  • Onde deverá acontecer;
  • Quem assistirá à parturiente (médico, parteira, enfermeira);
  • Quem estará presente (parceiro, amigos, familiares, doula, terapeuta)
  • Considerações sobre monitoramentos, métodos de indução de parto, medicamentos para manejo da dor e sobre episiotomia (corte no períneo – grupo de músculos pélvicos – para ampliar a abertura vaginal);
  • Como se pretende gerenciar o parto: liberdade de movimento, alimentação, ingestão de líquidos, banhos, massagens, etc;
  • Utilização de materiais como bola, aparelhos de som, óleos essenciais, ou o que se deseje levar para o quarto;
  • Como deve ser o tratamento do bebê após o parto (contato, amamentação, procedimentos de limpeza);
Este plano é uma lista de preferências e não uma previsão do que realmente vai acontecer. O trabalho de parto e parto podem tomar rumos inesperados, singulares. Se o plano será ou não seguido dependerá dos acontecimentos de antes, durante e depois do parto. As vantagens e riscos de cada procedimento devem ser avaliados pela parturiente e seu parceiro.
Por isso, este plano é provisório, não compromete a parturiente a seguir o que foi pré-estabelecido, podendo alterá-lo conforme seu desejo. A equipe que assistir ao parto também deve estar preparada para desvios do plano, se necessário, para preservar a saúde da mãe e do bebê.
No link http://www.amigasdoparto.com.br/plano3.html estão disponíveis informações muito bem detalhadas sobre todas as opções, possibilidades e situações que devem ser consideradas na hora de criar este documento. Neste outro http://www.birthplan.com/ (em inglês) você poderá criar online um plano de parto personalizado.
Este simples exercício, além de documentar todas as ressalvas para o parto, fará com que a gestante reflita profundamente sobre seus desejos, fazendo-a sentir-se mais segura no momento decisivo.

Deixe uma resposta

https://www.netkart.org Στοίχημα paykasa