saberpoder

“Se você não conhece suas opções, não tem nenhuma.”

Diana Korte e Roberta Scaer, A Good Birth, A Safe Birth

A preparação para o parto vai muito além da assimilação sistemática de informações sobre os estágios da gestação e fisiologia do nascimento. É uma oportunidade para o autoconhecimento e o autodesenvolvimento. E a construção deste caminho é propriedade de cada um, na medida em que envolve sua história de vida individual, familiar, cultural e social.

“Ninguém é sujeito da autonomia de ninguém”, escreveu Paulo Freire. “Por outro lado, ninguém amadurece de repente, aos vinte e cinco anos. A gente vai amadurecendo todo dia, ou não. A autonomia, enquanto amadurecimento do ser para si, é processo, é vir a ser”. Neste conhecer-se, está a humanização do parto, que restitui à mulher o pleno controle do seu destino, vinculado à sua sabedoria e capacidade primordial de gestar, parir e maternar.

Outra noção importante é o conhecimento da medicina baseada em evidências, e sobre como é possível parir com respeito segundo este modelo. Por meio do compartilhamento de informações e experiências relevantes, incentivamos o pensamento reflexivo e crítico em relação à parentalidade, apoiando as famílias que desejam ser protagonistas de suas histórias de nascimento. Afinal, o melhor parto é aquele que se viver.

Fotos: Renata Penna

escolha um assunto:


Você sabe falar a língua do P (arto)?

Muitos que acompanham nossos posts estão familiarizados com a “lingua do P(arto)”  – especialmente os profissionais, mães e pais – mas termos e siglas vivem aparecendo por aqui, nos posts, artigos e relatos e nem sempre todo mundo sabe do que...